Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ÁGUASDOLUSO

BURRIQUEIROS,OS QUE TOCAM OS BURROS...

ÁGUASDOLUSO

BURRIQUEIROS,OS QUE TOCAM OS BURROS...

09
Set17

FAVELA

Peter

DSCN5199[1].JPG

Não, não é uma favela do Rio de Janeiro mas uma

paisagem turistica aqui bem perto de nós, no

coração das "ditas" termas...ex do Luso....deste

Luso que não nos deixa de espantar....com

o seu turismo festeiro..

07
Set16

O TETO

Peter

DSCN4700[1].JPG

Neste Teatro que aqui vemos representou noutros 

tempos Alves da Cunha, Maria Matos, Vasco Santana,

João Vilarett,etc, e passaram inumeros filmes

que ajudaram a divertir plateias de turistas e residentes .

Lembro-me ao acaso de dois filmes, o italiano O Teto

e do americano o Comboio Apitou Três Vezes. 

BONS TEMPOS...

RSCN4703[1].JPG

Nesta foto do mesmo Teatro podemos ver não só

O Teto a cair como o próprio teatro em ruina e 

podemos afirmar que o Teatro já caiu Três Vezes,

fazendo jus ás memórias.

A Câmara da Mealhada, especialiazada em ruinas,

comprou este Teatro para cair mais vezes, porque 

três não chegaram ainda.

Essa autarquia recebe anualmente das  Águas do

Luso, cerca de 500 mil euros, ou seja, num mandato

recebe dois milhões de euros.

E o que fizeram nas Termas nesse mandato?

Uma retrete onde já existem cinco, destroem a Mata

Nacional do Buçaco e olham para as mini Termas

do Luso como se fossem um fanstasma!!!!

Se os eleitores não abrirem os olhos, o Cine Teatro

cai de certeza!!!!! 

 

 

 

16
Mar16

ÁGUA QUINTA MARAVILHA

Peter

018.JPG

 H á dias a Câmara Municipal inaugurou um posto de turismo na sede do concelho. Já aqui disse, essa é a minha visão das coisas, que faz mal, o posto de turismo deve ser na freguesia onde estão os recursos e melhorar o existente seria a única forma séria e útil de servir os interesses concelhios. É óbvio que não há lugar para dois postos de turismo, esta ideia é um erro da política local, senão mesmo um erro camuflado para matar um deles. É fruto  de estreiteza politica e da falta de massa crítica para fazer avançar processos de desenvolvimento do território como o nó ferroviário da Pampilhosa que não passou de conversa enquanto eram feitos o de Cacia e Vila Verde., ou classificar o Buçaco no património da Unesco, processo que já devia ter avançado e ser hoje realidade sustentada e não a mesma promessa de há vinte anos atrás, agora com descrédito acrescido. Em substituição destes projectos de desenvolvimento de mais complexa execução, fazem-se vazias manifestações de coisa nenhuma como essa das maravilhas, que nada acrescenta a um sector já de si bastante degradado ou multiplicam-se pavilhões para festas e casórios!

Acabar com a poluição do nosso espaço ambiental que se tornou crónica, outro problema grave, não está no horizonte da autarquia, incapaz de o solucionar eleição após eleição, bem como a execução dum espaço de golf fora do lugar próprio, e que deveria ser alterado para a figura de um projecto intermunicipal de 18 buracos a implantar entre dois municípios capaz de o tornar possível em custos de construção e manutenção.

Projectos como estes,  bem como um projecto de incentivos para a criação de empresas de inovação e valor económico para os espaços industriais fariam andar para a frente o município ,seria bem mais útil que a multiplicação descontrolada de estruturas destinadas á angariação de votos, cujos custos são sustentados pela autarquia. Qualquer município precisa de ter riqueza para haver redistribuição pelas famílias e pelos bens estruturais, mas nós, genuínos fazedores de improvisos, fazemos o contrário começando a casa pelo telhado e não pelos alicerces o que põe em sério risco um futuro sustentado.

A defesa das Termas do Luso e do famoso complexo negociado com a autarquia, o Luso 2007 que incluía umas hipotéticas fábricas de produtos afins no hipotético parque industrial de Barrô com entrada de now out , criação de riqueza e de empregos, que deveria ser defendido até às últimas consequências, não passou afinal por de mais um balão de ensaio para usar e deitar fora que conduziu ao desmantelamento da estância termal do concelho e da vila do Luso, esta nos seus retoques finais em morte lenta. Um ciclo de facilidades e contradições da política local que está longe de se poder interpretar nas suas variadas nuances e hiatos , mas extremamente errático para não dizer irresponsável.

Noutras áreas, o que tem feito a autarquia é concentrar o pouco que há em seu redor no centro administrativo do município, em vez de, como neste caso do posto de turismo, instalar um posto das Rotas do Vinho e do Leitão aumentando a visibilidade daqueles produtos nativos chamando-os pelos nomes próprios e não por um remark sem originalidade, as quatro maravilhas, uma mensagem nula. De resto o produto e os serviços já são suficientemente bons para serem chamados pelo nome próprio e não integrados num folclore paroquial destinado a umas jantaradas entre políticos. Hoje, nos tempos da net e do GPS, mais um posto de turismo é perder tempo e dinheiro, quando se pode instalar um posto com o mesmo fim e vantagens num site adequado como se faz  mundo fora. A não ser que se batalhe pelo turista pé rapado ou pelo excursionista do garrafão em vias de extinção que nada deixam pelos lugares por onde passam. Não me admira nada esta filosofia depois que  vi alguém iniciar-se  pela feira do Cartaxo há alguns anos atrás.

Mas acontece, e isto é bastante curioso, que nestas maravilhas está incluída o pão e a água. O pão, produto que é difícil encontrar na fabricação local e água que, suponho, não será a do velho e bonito chafariz que fica atrás do edifício inaugurado, mas presumo seja a do Luso. É que dois dias depois da inauguração dessas maravilhas e do posto de turismo, passei pela delegação de saúde do concelho e consultando o relatório das águas das nascentes verifiquei que a água da nascente da Fonte de S. João do Luso está imprópria para consumo. Sobressaía em letras maiúsculas do relatório das análises oficiais assinado pela senhora Delegada de Saúde no expositor público da própria Delegação, IMPRÓPRIA.É a água que eu bebo, eu e os meus conterrâneos e os que acidentalmente , e são muitos. ali vão encher garrafas e garrafões. A ser esta a maravilha em causa, pergunto-me, como é possível um município inaugurar um posto de turismo onde figura a maravilhosa água,  imprópria para consumo!? E fico-me por aqui para minorar alarmes, entendendo no entanto que são factos que não se podem calar ad eternun como vem acontecendo. Na minha modesta opinião, depois de quinze anos de experiência em que andei gratuitamente envolvido no sector com o mesmo gosto e amor com que escrevo estas linhas no jornal, esta é a negação total do turismo! Ou uma brincadeira de mau gosto!

Escamotear a verdade escondendo ardilosamente os factos reais e a falta de qualidade, é a melhor maneira de espantar o turista que, hoje em dia exige, além duma informação acessível e rigorosa, qualidade das ofertas e preços competitivos. Vender gato por lebre, mesmo que seja por descuido, não é coisa tolerável. Mas foi assim que se inaugurou o posto de turismo, e se apresentou na Feira do Turismo de Lisboa este concelho, já não o LUSO-BUÇACO, mas umas quatro incógnitas maravilhas!  

Será esta água uma quinta maravilha ou estava já incluida? Fica a pergunta.

Mealhada,1 de Março, 2012.       Águasdolusoblogs.sapo.pt

 

 

15
Ago14

HEINEKEN BEER

Peter

 

 

In this photo make in Luso ,Portugal, one thermal baths

where the water is explorer by  beer Heineken , seems

the company have no money to repair the little wall we

see in the center of the locality .

Poor company, that Know very well how to explore the

water  to sell, but  leaves the thermal baths deading

without clients !

One year ago, the wall was in the same state like today,

such as the SPAThe business of the city , whose name

is Luso, is finishing day by day, because  Heineken Bear

Company sounds see only to sell water's botle, when exist

a contract of exploration based in the development of the

Thermal Baths. 

Is  Heineken Bear joking with us, people of the city?

Or joking with portuguese people?

 

Traduzindo para português:

(Cerveja heineken

Nesta fotografia feita no Luso,onde as termas são exporadas pela cervejeira

Heineken, parece que a empresa não tem dinheiro para reparar o pequeno

muro que  se vê no centro do lugar.

Há um ano atrás, o muro estava no mesmo estado, tal como as termas.

Os negócios da cidade, cujo nome é Luso,estão acabando dia após dia,

porque a cervejeira Heineken parece ter apenas olhos para a venda de

água engarrafada, quando existe um contrato de exploração baseado no

desenvolvimento das termas. Está a cervejeira Heineken a brincar connosco?

Ou está brincando com os portugueses?)

 

11
Mai14

TERMAS CLÁSSICAS

Peter

 

 

Termas clássicas ou não clássicas???

Neste país de iluminados parece que as termas

deixaram de ser clássicas. Agora há Termas clássicas e

outras. Pensava-se que os SPA acabariam com as Termas 

ditas clássicas? Como se chamariam?

Neste  Portugal onde se quer ganhar dinheiro fácil ,rápido

e sem sustentação o caminho dos iluminados  e consultores

é (foi )acabar com as Termas ditas Clássicas.

Pessoalmente conheço algumas estâncias termais pela Europa

que continuam a ser Termas. Com spas ? Talvez.Modernizadas?

Talvez. Com novas técnicas? Talvez. Com novos aparelhos e

tratamentos,Talvez. Com novas estruturas? Talvez.

Com preços competitivos?Talvez.

Mas continuam a trabalhar como trabalhavam.Nada há no

mundo que  não se actualiza, modernize, qualifique.

Em Portugal acaba-se e faz-de de novo? Acabar qualquer

coisa é facilimo. Construir qualquer coisa, não o é.Leva o

seu tempo. As suas voltas. Tem os seus riscos.

Somos muitos espertos, os primeiros em quase tudo,para

destruir. Os piores, para fazer. Os de menor seriedade e 

profissionalismo em tudo o que se faz!

Deixo uma imagem.Umas Termas a funcionar

em Budapeste. Estas, como muitas outras, com muitos clientes.

E com muita dignidade, coisa que falta aqui.

No Luso,um bom exemplo, destruiram-se as Termas com a 

venda das águas em garrafas! Com tudo o que isso implicou

e implica! E uma indignidade!!!!!!

09
Ago12

1940 TAXI DRIVE

Peter

 

                                                                                                                                                                                                    

1940 ,Um táxi da praça do Luso, Termas, com a

sua distinta clientela na Fonte do Castanheiro.

As Termas estavam abertas juntamente com

dezenas de pensões e hoteis. 

Não passava pela cabeça de ninguém perder

noites a ver morcegos no Buçaco. Até existia 

Casino com baile a funcionar todos os dias!

Também não passava pela cabeça de ninguém

que a termas acabassem e dessem lugar a uma

clinica . Lá está , mini termas com spa com aviso

na porta (reservadas a clientes da clinica) mas 

da clinica pouco se mostra. Talvez pelos preços!!

Ah! E são proibidas as visitas.

Termas, até pelo letreiro da rua, acabaram!!!

Com o aval da estranha Cãmara da Mealhada!!!

Atenção que não é o estranho aval!!!!

Quem ganha no meio disto tudo, ainda não se 

sabe, mas não são os negociantes locais ,

nem os hoteleiros locais, nem as pessoas locais.

Por estranho que continue a parecer, uma fundação

de água está no local a fazer não se sabe o quê,

mas a tapar os olhos a alguém ,poderá estar!

Restos do deliranteSocrates para quem o dinheiro

que se deve não é para pagar????? É uma hipotese!!!

Doutrinária,pelo menos! Como a Afundação do

Buçacoa mostrar morcegos á gente que os quer ver.

Estranhas coisas neste país de pelintras ??????

Talvez !

De pelintras e pacóvios, realmente não

passamos , porém em terra de cegos...!!!!!

24
Out10

PESO $$

Peter

                                                                                                             

 

      QUANTOS ANOS AO ABANDONO??

 

  O QUE FAZ UM VEREADOR NA CÂMARA ??

 

                    PESO $$$

10
Mar09

RUIR DAS TERMAS DO LUSO

Peter

 

                         RUIR                                                          

 

 

Ontem foi apresentado á Comissão de comerciantes do Luso o projecto de recuperação das Termas que vem sendo prometido há vários anos pela concessionária SAL.
 Presentes a própria Concessionária  e a Maló Clincs, dentistas,que tentaram demonstrar os benefícios do projecto.
No projecto apresentado , as Termas vão encolher em vez de crescer como era a perspectiva e o desejo de todos.
Com efeito , a  concessionária pretende dividir as actuais instalações termais , reservando para Termas apenas a Buvete   ou seja, um terço do espaço das termas actuais.Destruindo dois terços das instalações, propõe-se fazer um pequeno spa e um dentista naquele espaço.
 Com esta solução , não só inviabiliza o desenvolvimento das Termas , como as reduz, pois especialistas nesta matéria afirmam que no referido espaço não há possibilidades de atender 500 aquistas , o que significa reduzir os mil do último ano para 500 .
Ora o que se esperava era um aumento da área termal e não o seu encurtamento, era o aumentar a capacidade de atendimento para recuperar os 2.500/3.000  que politicas desastrosas da concessionária espantaram das Termas do Luso e não  a fuga dos últimos resistentes.
Isto contraria tudo o que se vem reclamando para a recuperação da estância.

Curiosamente, a Câmara da Mealhada está com esta empresa  e com os seus objectivos, abandonando os habitantes e portanto os eleitores á sua sorte , depois de ter anunciado á poucos dias com pompa e propaganda  no Teatro Messias , investimentos de milhões para as termas do  Luso. Só que, na plateia, nem um único investidor se encontrava !
Este é o ruir completo das Termas do Luso e dos empregos para muita gente e trata-se de transformação das já de si pequenas Termas do Luso , em mini termas, no claro incumprimento do contrato da concessão que obriga á manutenção e desenvolvimento das mesmas.

 Mas quem investiga  o cumprimento do contrato ? Pelo vistos, ninguém...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

bandeira

badge