Domingo, 27 de Janeiro de 2013

ALDEIA ELEGANTE

 

M eu amigo. Conheço o Bussaco há largos anos, e não só a cerca dos carmelitas mas também a cinta de povoações e logarejos  que o circumdam e lhe matizam as faldas. Luso e Bussaco foram em tempos já remotos o centro das minhas digressões e o retiro das minhas férias grandes.

   Mas fazem differença as duas epochas; cinco lustros de intervallo alteram tudo radicalmente. Luso é hoje uma aldeia elegante, o Bussaco uma formosa matta modelo;e noutro tempo a primeira era uma pinha de cabanas toscas afogadas em viçosas searas, o  segundo uma floresta espessa de sombras crepusculares. Os mesmos banhos tão afamados parecem outros; vemos um palacete  em vez d’uma choupana, tinas de mármore, para onde jorram as aguas por torneiras de bronze, em vez de tanques de madeira, onde brotavam espontaneas  as lymphas salutiferas.

  Levanta-se também hoje um soberbo obelisco , comemorando as glorias do nosso exercito em 1810; mas o monumento que as recordava era dantes a capella das Almas, destelhada pelas explosões e esburacada pelas balas.

  Quando me dirijo ao Bussaco pelo caminho de ferro da Mealhada ou em commoda carruagem pela estrada de macadam , em vez de me bifurcar na alimária asinina que noutros tempos me conduzia por máos caminhos e íngremes ladeiras, ainda assim, apezar das commodidades que gózo, lembro-me com saudade dos incommodos preteridos, e quasi que prefiro a antiga rusticidade do povoado , a matta fechada e a capella- monumento.

  E porque será assim?!...Será pelos perfumes da mocidade, que então me inebriavam a alma, pelas tintas mimosas que me coloriam o quadro da vida?...è por isso, é. E a montanha também era nova, assim como a aldeia. E parece que envelheceram ambas. E que as enfeitaram e arrebicaram para lhes disfarçarem as rugas senis!...

   Quando saímos da cidade para viver vida montezinha, parece-me contrasenso transportarmos connosco os palácios e regalos urbanos; e , peior ainda, abatermos as arvores seculares para desbastar o caminho ás traquitanas de luxo. Uma casa nobre numa várzea de milho não é menos desproporcionada que uma casa de colmo em calçada sumptuosa; o desequilibrio é o mesmo. E derrubar as florestas  e desfazer as sombras, entornar o sol no intimo recesso dos bosques é desacato capital, que a razão reprova e o bom gosto condemna.

    E fui-lhe falar em bom gosto… Não há coisa mais avessa ás obras modernas do Bussaco…Crucificaram-no, coitado, depois de o terem arrastado pela via da amargura. A Fonte Fria foi o seu calvário.

  (  Gomes de Abreu ,carta dirigida a Augusto Mendes Simões de Castro, 1847, Guia Histórico do Bussaco, Coimbra, Imprensa da Universidade,1875,Grafia original ,titulo adaptado pelo autor do blog )

publicado por Peter às 18:52

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2013

UM APOIO POLITICO

 

 

                          TERMAS DO LUSO

           RAZÕES  PARA UM APOIO POLITICO

  Lamento muito não poder estar presente de forma pessoal nesta manifestação de apoio a Rui Marqueiro, mas a recuperação duma pequena intervenção cirúrgica donde regressei ontem, impede-me de o fazer. Assim, solicito á mesa eventual que dará ordem às intervenções que venham a ter lugar, o favor de fazer transmitir em meu nome o texto que segue, dirigido aos munícipes deste concelho, aos meus conterrâneos lusenses e ao candidato o Dr. Rui Marqueiro.

A este último gostaria de, na qualidade de munícipe do concelho da Mealhada, mas sobretudo na qualidade de cidadão do Luso, reconhecer em público e agradecer o trabalho que, quer durante os seus mandatos como presidente da Câmara, quer como presidente da Assembleia Municipal, realizou nesta freguesia do Luso, optando por uma estratégia de médio e longo prazo inteligentemente delineada e seguida e dirigida para o desenvolvimento e alargamento do leque turístico-termal com a construção e consolidação de equipamentos de inquestionável valor desde há muito aguardados pela vila.

Pode-se afirmar sem contestação possível que Rui Marqueiro esteve em tudo o que se passou de importância para o Luso e para o turismo concelhio desde o 25 de Abril, aproveitando duma forma atenta, oportuna e clara os investimentos comunitários na vertente turística deste concelho, actividade preponderante do ponto de vista económico que oferecia e pode oferecer se bem e firmemente gerida, um espaço capaz de fazer andar a freguesia e o município. Coisa que entretanto outros deixaram levianamente morrer !

Infelizmente após todos estes incansáveis esforços para desenvolver o Luso, forças ditas também socialistas mas imbuídas de espirito paroquial e não de interesse colectivo, como aliás aconteceu um pouco por todo o país, entenderam que o Luso já tinha mais que a sua parte após a construção do Centro de Estágios do Luso, obra feita no pós Rui Marqueiro mas que vos garanto aqui, se necessário explicarei porque o digo, se lhe fica em grande parte a dever.

Mas a partir daí o Luso, apesar de ter pago com receitas oriundas do próprio Luso quase todas as suas obras públicas, Centro de Estágios incluído, foi colocado na prateleira do esquecimento propositado e as intervenções de que foi alvo foram autênticos disparates, iguais a muitos outros que levaram Portugal á falência e á divida que temos que saldar a partir dos nossos bolsos. Refiro-me ao granítico Mausoléu transmontano em que transformaram a Fonte de S. João e á recente destruição duma escola que, exceptuando o telhado, estava em magníficas condições de responder às exigências do ensino local por muitos anos. Foram as duas obras, uma ainda em execução. Não quero inferir daí que haja interesses colaterais nestas empreitadas absurdas, quero acreditar que a Câmara seja honesta, mas estas obras sem lógica nem sentido, às quais se junta a de sucateira do imobiliário que também parece ser, não sei se comprando as velharias do concelho se desenrascando proprietários “enrascados”, não dão uma ideia muito clara das actividades comunais. Se acrescentarmos o facto de vivermos num país onde milhões de pobres e desempregados estão a passar fome, nem sequer tem explicação plausível.

Acresce em relação ao Luso, aquilo que eu considero a morte já nem sequer anunciada, mas mesmo em vias de funeral, se se pode dizer assim, do complexo termal. À redução das Termas a um terço, facto para o qual chamei muitas vezes a atenção em críticas causticas e severas e como se viu correctas, mas que nunca perturbaram a mente dos eleitos, nem da Câmara, nem da freguesia, junta-se agora a derradeira transferência do resto do engarrafamento da matéria-prima do Luso para a Vacariça, esvaziando completamente a freguesia de tudo o que lhe pertence e tem enterrado no seu solo, sem qualquer contrapartida equivalente e sustentada, antes pelo contrário, com mais alguns despedimentos na manga do casaco. E o que fizeram os políticos eleitos durante o caminhar de todo este processo de atropelos e enganos do capital internacional? NADA. E do que alertaram os organismos superiores competentes na matéria termal, se é que por acaso os há, olhando pelos bens dos portugueses? NADA!

Além de obedientes e bons merceeiros, comodamente sentados nas poltronas municipais a somar e subtrair, deram de mão beijada todo o ouro ao bandido, um deles, excelente miguel de vasconcelos, curiosamente empenhado de novo na destruição da televisão dos portugueses. Dos nossos representantes edis não ouvimos um reparo, não escutamos uma exigência, NADA! 

O facto de serem socialistas, e eu sei perfeitamente como foram escolhidos enquanto candidatos, não me inibe de dizer seja o que for a seu respeito, diria o mesmo, já o tenho dito, doutras cores partidárias, porque como socialista que sou e de cujo espirito essencial comungo, espero o melhor, a justiça, a rectidão , a solidariedade ,a verdade, e alguma competência .

Depois o Estado pelintra, no mau Estado em que se encontra, entregou a Mata Nacional do Buçaco a uma Fundação gerida por um engenheiro civil escolhido por trocas entre candidatos a lugares políticos, e assim se transformou num asilo partidário cujos lugares dependem duma também politizada entrevista até aos níveis inferiores. O cartão partidário, o tirar o chapéu, a rede de informações com telemóveis pagos por nós contribuintes, instalou-se como lepra vergonhosa entre quem dispõe duns centímetros de poder para pateticamente se autopromover e criar redes de mesquinhas informações. Um palco suficientemente grande para se destruir com o á vontade da ignorância um bosque centenário! Indigno de socialistas da maneira como aprendi a ver a instituição partidária!

A Fundação lá teve, com o beneficio da dúvida, uma nota de medíocre na classificação fiscal nacional, para mostrar á evidência a inutilidade de entregar uma Mata Nacional da envergadura do Buçaco, a uma Câmara Municipal e a uma série de intervenientes vários, o melhor caminho para nada se fazer além da destruição sistemática e irresponsável do seu património botânico e cultural. Onde muitos metem a mão todos estragam e nenhum repara. Basta percorrer os diversos trilhos da floresta sem a cegueira de interesses que não sejam os de toda a população concelhia para o constatar! De resto o que é NACIONAL compete ao Estado gerir, não a Câmaras.

Se falarmos finalmente em resultados turísticos comparando o que se gastou e beneficiou com esta fundação subsidiada pelo município, onde estão as contas? Onde está o feed back correspondente aos gastos realizados? O hotel da Mata está periclitante, os do Luso, nem se fala e quanto a negócios gerados entre comerciantes, nem há ponta por onde se lhe pegue. Claro que ninguém fez contas, ninguém as faz, a irresponsabilidade é total, ninguém responde por nada!!!

Em consonância com a magreza e a operacionalidade dum mini spa aberto ao serviço do hotel das termas e praticamente fechado a todas as outras unidades hoteleiras, o bloco de fisioterapia nunca reabriu depois da sua destruição em 2008 e de engodo em engodo, a empresa concessionária, já não se sabe muito bem quem é responsável no embrulho feito pelas empresas de advogados, engana quando quer e lhe apetece a malfadada autarquia Câmara, ela própria curta e imprópria para acompanhar a subtileza do processo.

 Peço desculpa pelo tamanho da comunicação bem como do seu conteúdo quase todo respeitante ao Luso, a terra onde nasci e vivo e pelo conhecimento que tenho das coisas, das pessoas e das suas atitudes, tenho razões para me convencer e convenço-me que há da parte desta edilidade em exercício uma atitude de repúdio e de aversão pelo que diz respeito ao Luso. Um espirito e uma gestão, que a ser assim, são intoleráveis!

Amigos e Carissimo Rui Marqueiro.

Não fiz uma apologia dos seus dotes e virtudes. Não sou homem para isso nem o senhor é homem para as valorizar ou lhes dar importância. Pelo que conheço de si basta-lhe arregaçar as mangas sem paliativos e discussões e ir a direito pelos caminhos que honestamente sabe traçar. Neguei-lhe o meu voto uma vez, mas não vale a pena dizer-lhe que estou arrependido. Tenho por hábito não me arrepender do passado, bom ou mau, não porque não esteja consciente do bem ou mal que fiz, mas para não me mortificar nem cair em lamentações serôdias quando nada mais há a esperar do erro ou da virtude. Não o fiz por desconsideração nem por desconhecimento das suas capacidades, fi-lo por uma conjuntura e uma avaliação desproporcionada fruto de equívocos e más interpretações. Sem qualquer reserva intelectual acho que poderia ter feito melhor e se de algum consolo serve a ambos peço desculpa, apesar da sua probidade nunca me ter demonstrado qualquer incomodo ou antipatia. Parece-me que é assim que as coisas devem ser.

Desta vez, sem dúvidas, tenho a certeza que o município precisa do seu trabalho. Posso dizer-lhe na minha modesta opinião, apesar de não haver muitas hipóteses que se possam discutir, que foi dos ótimos autarcas que teve nas mãos o leme do concelho desde que a Mealhada assumiu esse patamar administrativo. Por muito que desfolhe os poucos alfarrábios da nossa história comum, não vejo quem mais fez tanto com algum pouco que segurou nas mãos, exceptuando os pioneiros ou fundadores cujos problemas seriam naturalmente de índole diferente.

Claro que não vai ser fácil a missão para que se candidata, todos sabemos isso, mas por essa mesma razão podem as dificuldades transformar-se em motivações, desafios e lutas politicas capazes de satisfazer o ego que nos leva a ser uteis para com a comunidade que nos rodeia, a única razão, no meu entender, para trabalhar no serviço publico da democracia.

A Mealhada precisa dum homem capaz, que nos dê a segurança possível num amanhã que se anuncia sombrio e que comungue com a maltratada juventude dos nossos dias, os nossos filhos e netos a quem não soubemos criar uma vida melhor nem dar condições de futuro. É preciso ultrapassar esta incómoda situação a que chegamos muito por culpa dos banqueiros, mas também de políticos inconscientes e irresponsáveis. A seriedade, a honestidade, a justiça o peso da palavra, vão ser virtudes éticas difíceis de recuperar, por isso é urgente que os homens de boa vontade retomem as rédeas da esperança e do trabalho em prol das sociedades futuras e do homem.

Termino retornando á minha terra, o Luso. Peço desculpa a todos os amigos aqui presentes. Quando for preciso falar do município, posso fazê-lo, mas hoje deixem-me dar voz á minha revolta com o fim em vista do complexo das Águas e Termal. Conheço bem o concelho, e neste momento não há ninguém capaz de lutar por ele e contra a catástrofe que caiu sobre o Luso, senão Rui Marqueiro. Sem dúvida, ele é não só o melhor candidato a candidato, como o melhor candidato á Câmara da Mealhada. Passa de um século que não surgiu outro melhor! A obra, quer queiram ou não queiram meia dúzia de aberrantes detratores, está bem á vista. Daqui lhe envio o meu sincero apoio e um abraço de amizade e estima.

 

publicado por Peter às 17:01

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?
Domingo, 6 de Janeiro de 2013

FOTO

 

Fotografia curiosa batida nas escadas laterias do

Casino do Luso.

Conhecidos:Benjamim,Pimenta, João Padeiro,Rosa

Costa,Isilda,Quitas,Maria Cabral,Joaquim Ferreira,

António Ferreira, António Benjamim,Pais Pinto...

ANO : 1930,40,50 ???

Festejos de ??????????

publicado por Peter às 18:06

link do post | comentar | favorito
 O que é? |  O que é?

.mais sobre mim

.as minhas fotos

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. PORTUGAL A ARDER

. FAVELA

. FOI ABAIXO...

. ADEGA DO ADELINO

. Ladeira do Chafariz

. CHAFARIZ

. SOBRE ACÁCIA

. ENGOLIR SAPOS VIVOS

. FOGO QUE ESPREITA

. FOGOS,LÁGRIMAS DE CROCODI...

. “NOMINA SUNT CONSEQU...

. O CANDIDATO EGOISTA

. PÁSCOA ; UM FANTÁSTICO FO...

. AS TERMAS

. AINDA O CINEMA

. ALICE

. SALTIMBANCOS DO LUSO

. O SEXTO WC DO LAGO

. O TETO

. FOGOS

. BREVE HISTÓRIA DUM FOGO

. A INUTILIDADE DA POLITICA...

. LUSO , ADEUS CLÍNICA DEN...

. EPPUR SI MUOVE!!

. ÁGUA IMPRÓPRIA

. ABRIL,42 ANOS DEPOIS

. PONTOS NOS iii

. FONTE DE S.JOÂO

. ...

. TURISTAS AOS MOLHOS

. SALVE-SE QUEM PUDER

. ÁGUA QUINTA MARAVILHA

. PROPRIEDADE DO ESTADO

. A BTL DO LUSO-BUÇACO

. LUSO,ÁGUA IMPRÓPRIA

. ONDE ESTÃO OS CÊNTIMOS DA...

. DIARIO DUM PAIS RICO

. A RUÍNA DAS TERMAS

. OS BANQUEIROS DO POVO

. A ESPERA DO NATAL

. DE LUSO

. SAGA TERMAL

. TERMAS DO LUSO

. CHAFARIZ

. CAI E NÃO CAI...

. POSTAL 1945

. TEATRO

. REVISTA

. TURISMO

. CHAVES VIVE/LUSO MORRE

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. ♥ Lay all your love on me...

.links

.as minhas fotos

.bandeira

badge
blogs SAPO
RSS